Estar em uma plataforma de grande visibilidade tem o seu preço – e ele não é dos mais baratos, dependendo do seu negócio

Se por um lado, estar nos aplicativos delivery garante visibilidade a um negócio, por outro, o empreendedor ou empreendedora precisa lidar com as taxas de comissão cobradas por eles. Os valores podem ser bem salgados, dependendo da plataforma, o que acaba impactando no faturamento da empresa.

Nesta vida, tudo são escolhas. Para se ganhar aqui, cede-se ali. Estar em um ambiente muito visitado por diversos consumidores e consumidoras tem um preço. 

Quem não quer pagar por isso, pode optar por vender diretamente aos clientes, por meio de sites próprios ou plataformas que oferecem o recurso de sistema de delivery. No entanto, ambas as soluções também têm o seu custo.

Como escolher?

Você precisa pensar em que momento o seu negócio está e no que vale mais a pena investir. Se o seu restaurante for novo, pode ser mais vantajoso estar no iFood, por exemplo, já que é uma ótima oportunidade para os consumidores conhecerem a sua marca.

Por outro lado, se sua lanchonete está há um tempo no mercado e conta com um grupo de clientes, pode ser mais eficiente levá-los para uma plataforma só sua, facilitando o contato. Além disso, apesar da mensalidade cobrada por quem hospeda esses sites, você economiza na taxa de comissão cobrada pelos apps por cada pedido feito.

Quais as vantagens de estar nos apps de delivery?

Como dito anteriormente, a maior vantagem é a visibilidade. Além disso, esses aplicativos também oferecem alguns serviços que ajudam os empreendedores, como um sistema de gestão de pedidos e de atendimento ao cliente.

Outro ponto forte é a facilidade para fazer parte deles. Os processos são rápidos e sem burocracia. A configuração é simples e em poucos dias, após autorização da plataforma, você pode começar a vender. Isso sem falar na facilidade de pagamento, já que é possível os clientes pagarem direto pelo app.

Quais as vantagens de estar em uma plataforma própria?

Em poucas palavras: escapar das taxas de comissão. Também é mais fácil fidelizar a clientela que já compra com você ao levá-los para outra plataforma. Fora que, desta maneira, seu negócio não se torna dependente do app e você ainda dribla a concorrência.

Conforme mencionado acima, algumas dessas plataformas ainda oferecem recursos que ajudam a vender mais e gerenciar melhor o seu estabelecimento. Entre algumas dessas funcionalidades, estão controle de fiado, catálogo online e controle de estoque.

Quais são as taxas cobradas pelos apps?

Anúncio de lanchonete no iFood

iFood

Ele oferece dois planos:

  • Básico

O estabelecimento é quem faz as entregas e gerencia os entregadores. Nesta opção, há uma comissão de 12% sobre o valor dos pedidos realizados e mais uma taxa de 3,5% quando os pagamentos são feitos diretamente pelo iFood. A mensalidade é R$ 100,00, mas somente se a sua empresa vender mais de R$ 1.800,00 no mês.

  • Entrega

O iFood faz as entregas do seu estabelecimento por meio dos entregadores parceiros e gerencia as ferramentas utilizadas. Nesta modalidade, a comissão é de 23% sobre o valor dos pedidos, e também há a taxa de 3,5% quando o pagamento for realizado direto na plataforma. A mensalidade é R$ 130,00, caso você venda mais de R$ 1.800,00 no mês.

Uber Eats

Este não cobra mensalidade, mas sim uma taxa única de adesão à plataforma e uma taxa de serviço para cada pedido realizado. 

A taxa de adesão é de R$ 350,00 e, segundo a Uber, dá direito a um tablet com o software de gerenciamento de pedidos instalado, suporte de configuração e uma sessão de fotos profissionais dos pratos do cardápio.

A taxa de serviço varia de acordo com a opção de entrega: 

  • Entregadores parceiros – 30%

Com esta opção, os clientes podem acompanhar os pedidos em tempo real e os comerciantes contam com o suporte do Uber Eats.

  • Equipe de entrega própria – 15%

Nesta modalidade, o estabelecimento fica responsável pela entrega. Mesmo assim, ele pode usar entregadores parceiros quando quiser, sujeito à taxa mais alta.

Rappi

Este também não tem mensalidade. Ele cobra uma taxa de R$ 40,00 para ativar o negócio na plataforma. Ela é descontada no primeiro repasse de pagamento realizado. Se o valor for inferior, os repasses seguintes serão retidos até atingir a taxa.

O Rappi ainda cobra uma taxa de pagamento a crédito (sempre que um pedido for pago online por meio de cartão de crédito ou vale-refeição) de 3,5% sobre o valor da transação.

Conclusão

Você pode optar por apps de delivery ou por uma plataforma própria. No entanto, o mais aconselhável, se puder, é estar nos dois ambientes. Assim, você consegue aproveitar as vantagens dos dois lados: a visibilidade de um e a fidelização do outro.

Agora, se você ainda não puder arcar com todas as taxas cobradas, faça um estudo e avalie qual é a melhor opção para o seu negócio. Coloque na balança todos os pontos positivos e negativos de cada uma e veja qual se encaixa melhor neste momento para você.